4 comentários sobre “Observações pré-pascais…

  1. Então, é a primeira vez que entro em seu blog, até mesmo porque até hoje eu não sabia da existência do mesmo. Mas estava olhando os posts no FB e me deparei com as frases iniciais do seu post de hoje. E confesso, fiquei tocada.

    Desculpe o pré-julgamento (desculpe mesmo, fiquei terrivelmente envergonhada), mas nunca na vida eu iria pensar que você pudesse guardar tanta sensibilidade dentro dessa mente repleta de ciência.. hehehe…

    Sério, fiquei emocionada lendo seus posts e imaginando ambas as cenas descritas… Perfeito!

    Acabou de ganhar uma frequentadora. =)

    Bjs!

    • Uau! Que surpresa!

      Seja bem-vinda ao meu blog e à minha meia-dúzia de leitores.

      Então, é, em geral consigo ter essa habilidade singular de ser mal-compreendido. Não é culpa de ninguém, exceto minha própria, hehe.

      Mas estou trabalhando para resolver isso; isto é, tornar compatíveis o “interno” e o “externo”; conteúdo com as aparências.

      Eu não separo ciência de arte; razão de emoção; razão de intuição etc. Na verdade, no princípio, essas coisas de fato estão conectadas, mas as pessoas, por convenção, tendem a distanciá-las por meio da prática e dos pensamentos (são condicionadas a isso), e conscientemente as opõem. Mas, ainda assim, em qualquer um, os mesmos processos psíquicos operam em todos.

      Em mim trabalho para integrá-los ainda mais; e tive a sorte de já o estarem, de certo modo, desde o início. Quanto mais paixão, mais interesse, mais valor, mais quero entender e aproximar-me da verdade. Ao que normalmente se opõe, para mim é fator de integração.

      Eu só exprimia mais o lado sciendi pelo fato de ter sido/ser o principal veículo de expressão e elaboração da disposição curiosa, observadora e contemplativa que me marca com grande profundidade. E porque é regra combater a ciência no campo das humanidades – especialmente nas “ciências” sociais -, assim foi natural eu exaltá-la e militar a seu favor, por razões de oposição e auto-afirmação. Mas já superei isso e agora posso desenvolver e exprimir as outras facetas da minha personalidade.

      Desenvolvo melhor esta questão no capítulo “V” da terceira parte de “Memórias”. Embora ecoe através de todo o resto.

      Novamente, seja bem-vinda.

      bjs.

  2. Muito bom post! Assim você tem meu reconhecimento!

    Quanto aos garotos, é uma pena que dependam da benevolência das outras pessoas para sobreviverem.

    Abraço e feliz páscoa.

    • Feliz Páscoa, meu caro e grande Giulio. Reitero aquilo que já falei: quando vieres a Curitiba, entre em contato para nos encontrarmos, dares um pulo aqui etc.

      Farei o mesmo qdo aportar em SP.

      Obrigado pelo reconhecimento; de fato não se vive sem ele. Na verdade, vou além: o próprio sentido da vida depende dele.

      Falou.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s