a cultura no corpo

 
Hoje eu fui ao show do Gary Numan. Havia um rapaz do meu lado que batia a mão direita no peito esquerdo, seguindo o ritmo da bateria. Ele não se soltava de outra maneia, e como um tímido conservava as manifestações de si sempre juntas ao corpo. Mas por que o peito? Por que não tocar os genitais ou fazer cócegas no sovaco? Mas comportadinho ele batia no peito e sem saber exprimia 27 anos e 300 bilhões de sinaizinhos de OK e proibido, da caminhada à padaria aos esporros da mamãe, imiscuídos no cérebro e nos tendões.
 

Anúncios