sobre

 

 

 

 

 

Meu nome é Fernando, tenho 26 anos e faço doutorado em Sociologia. Pratico SwáSthya Yôga e estou em vias de tornar-me Professor universitário. Posso ser descrito como uma pessoa passional e obsessiva. Tendo a interessar-me por quase tudo aquilo que pode ser, de alguma forma, interessante. Mas não sou, de maneira alguma, uma pessoa volátil. Nunca abandono valores e interesses caros, mas busco desenvolvê-los cada vez mais. Sonho em integrar um sistema de práticas e valores sólido e harmônico.

 

 

Este blog é uma aventura que gostaria de conduzir já há algum tempo, mas não havia conseguido reunir a vontade e a coragem para fazê-lo.

 

 

O leque de interesses é bem amplo – o que, para variar, não poderia ser diferente. Falaremos da experiência humana, a psique, a cultura e a sociedade. Fragmentos delas, selecionados e interpretados por mim. O objetivo direto é reconstruir algumas de suas dimensões, reunindo progressivamente aspectos da vida; do cotidiano, ciência, música, história, artes visuais, moda e fotografia.

 

 

Minha pessoa ecoará junto de tudo aquilo que for tocado, explorado. Estará presente em todos os momentos. E isto em dois sentidos. Em primeiro lugar, há, sim, foco em minhas disposições, mente, habitus. O indivíduo Fernando estará presente. Parte de minha experiência será registrada e compartilhará espaço com as demais. Em segundo lugar, os fatos e experiências desse travesso e criativo bicho homem serão subjetivamente escolhidos e interpretados – e é esta a finalidade. Aqueles que eu for capaz de identificar, decodificar, atribuir sentido; que julgue interessantes, conscientemente ou não, como qualquer um o faria (como gostaria de desencarnar e ver as coisas de todos os pontos de vistas possíveis!). Trata-se de pintar um esboço da experiência partindo de um ponto de vista particular. Em certo sentido, trata-se de um experimento sobre experiências. Haverá, cá e lá, textos de teor mais técnico-científico, eventualmente com alguma pretensão objetiva. Mas também estes derivarão de um interesse pessoal com vistas a uma reconstrução específica e curiosa da realidade humana.

 

 

Por motivos diversos, mantive-me distante do convívio social efetivo por aproximadamente cinco anos. Mas alguém afinal precisa dar sua contribuição ao mundo, por infinitesimal que seja. Ou tentar, tentar o melhor, o que já basta, a meu ver. Juntando os cacos, desenvolvi a coragem necessária para expressar o que penso.

 

 

Meu real objetivo é fornecer subsídios para uma identificação e complementação mútua com os eventuais leitores. Ainda que baseada na eventual discordância positiva, em que se estimula o espírito alheio a buscar novos pontos de vista e a aventurar-se em novas trajetórias, contribuindo indiretamente, assim, para sua própria afirmação de vida. E procedendo desta forma darei um sentido especial à minha própria. Terei meu canto, onde poderei externalizar aquela matéria que, por mais positiva, se não canalizada oprime a mente.

 

 

Tentarei explorar as várias facetas da experiência humana, tanto positivas como negativas. Por sorte posso dizer que a gama de interesses é bem ampla, e estou certo de que exploraremos muitos redutos belos – em um meio em que somos estimulados de todos os lados a só ver os pontos obscuros. Observadas as limitações fundamentais, acredito que só é impossível o que não pode ser imaginado. É esse potencial, ao mesmo tempo radiante e obscuro, apaixonante e odioso, dramático e alegre, colérico e gentil, que tentarei exprimir. E, se o fizer bem, estou certo de que se tratará de um produto belo e talvez até emocionante.

 

 

Espero conduzir este empreendimento por muitos anos, depurando as arestas, tornando o produto cada vez mais bem acabado, melhor esclarecendo os conceitos e mensagens. Até lá, a única ambição é perseguir o objetivo e, se possível, reunir uma meia-dúzia de leitores.

 

 

F.